Endometriose não tem cura, mas tem tratamento

22 de dezembro de 2017

Todo mês, boa parte das mulheres passa pelos incômodos do período menstrual. Durante esses dias, o endométrio, tecido de revestimento interno do útero, que não recebeu um embrião, se desprende e é eliminado juntamente com sangue.

Ocorre, porém, que parte do tecido menstrual se desloca em sentido oposto à vagina, atingindo outros órgãos da região pélvica por meio das tubas uterinas (menstruação retrógrada). Dessa forma, as células de tecido endometrial, sob influência da ação hormonal, provocam o surgimento de coágulos e cicatrizes nesses órgãos, configurando uma doença chamada endometriose. Esse problema pode atingir outros órgãos do sistema reprodutor, bexiga e intestinos.

O que se sente nesses casos?

A presença de tecido endometrial fora de seu lugar de origem causa lesões que dão sinais. Entre eles, há uma intensificação nas cólicas menstruais, dores durante as relações sexuais, dores e alterações na frequência ao urinar ou evacuar, dor pélvica fora do período menstrual e infertilidade.

Por que a endometriose causa infertilidade?

Os casos de endometriose podem causar alterações anatômicas nos órgãos pélvicos, possível obstrução de tubas uterinas e processos inflamatórios que reduzem as chances de fecundação, implantação e desenvolvimento do embrião. Por isso, a doença é apontada como a principal causa de muitos casos de infertilidade feminina. No entanto, nem sempre é possível definir qual é a possibilidade de a mulher que tem endometriose apresentar infertilidade.

O que é possível fazer?

Ainda não há uma cura definitiva para o problema, no entanto, há diferentes métodos que permitem controlar a endometriose e permitir que a mulher viva com mais qualidade, sem ser afetada pelos sintomas. Medicamentos anti-inflamatórios e contraceptivos que atuam sobre a ação hormonal ajudam a manter a situação sob controle. Além disso, as lesões causadas pela doença podem ser removidas cirurgicamente, por videolaparoscopia ou por cirurgia robótica.

A indicação de tratamento deve ser feita por um médico especialista e varia de um caso para outro. Isso ocorre porque é necessário levar em consideração as regiões atingidas pela endometriose, os sintomas que a mulher vivencia, a faixa etária da paciente, além de seu possível desejo de ter filhos.

Para mulheres que sofrem com a infertilidade, as técnicas de reprodução assistida têm se desenvolvido cada vez mais, auxiliando as mulheres que têm desejo reprodutivo. Nesses casos, a FIV, Fertilização In Vitro, pode representar uma possibilidade para realizar o sonho da maternidade.

Acompanhamento Médico

Caso algum dos sintomas citados surja, não se deve perder tempo. É preciso procurar ajuda médica especializada para o correto diagnóstico do problema e para a recomendação mais adequada de tratamento.

Além disso, é sempre importante alertar que as mulheres devem passar periodicamente pelas consultas de rotina com um médico ginecologista. Quanto mais cedo qualquer alteração for diagnosticada, melhores são as possibilidade de tratamento.

Últimos Posts

Itens prejudiciais à fertilidade feminina

22 de dezembro de 2017

Endometriose não tem cura, mas tem tratamento

22 de dezembro de 2017

Conheça os principais fatores de risco para a gestação ectópica

22 de dezembro de 2017

Categorias

PERGUNTE AOS NOSSOS ESPECIALISTAS

Deseja saber detalhes sobre o tratamento?
Clique no botão ao lado para entrar em contato conosco.

AGENDAMENTO DE CONSULTA

Queremos ajuda-la

Preencha os campos para que a nossa equipe de agendamento entre em contato.

Nossa Newsletter

Receba novidades diretamente no seu e-mail!

Rua Itapeva 286, 1° andar
Bela Vista | São Paulo / SP